domingo, 1 de maio de 2016

18 de julho, Dia do Trovador



A alegria, o companheirismo, a firme determinação de seguir a vida pelo lado mais ensolarado, otimismo e solidariedade. Eis o trovador típico. Quem conhecer o grupo, logo perceberá a diferença.
De acordo com Jorge Amado, a trova é "a criação literária que fala mais diretamente ao coração do povo".
Vinda de Portugal, onde é conhecida como quadra, esta forma poética tem quatro versos de sete sílabas com sentido completo e divide-se em três gêneros: lírica, filosófica e humorística.
A UBT (União Brasileira de Trovadores) foi fundada por Gilson de Castro, cujo pseudônimo era Luiz Otávio, que faleceu em 1977. A data de seu nascimento foi escolhida para homenagear os trovadores.

Citarei algumas trovas para o leitor poder apreciar sua evolução através dos tempos.

Portugal

Sem conta, peso ou medida
vivo no mundo, de sorte
que não sei, chegando a morte,
que contas darei da vida.
Nuno Marques Pereira (século XVII)

Tu és Maria da Graça.
mas a que graça é que vem
ser essa graça a desgraça
de quem a graça não tem?
Fernando Pessoa (1888-1935)

Brasil

As nuvens ajoelhadas,
nos claustros ermos e vãos,
passam as contas douradas
das estrelas pelas mãos.
Castro Alves ((1847-1871)

O amor que a teu lado levas
a que lugar te conduz,
que entras coberto de trevas
e sais coberto de luz?
Olavo Bilac(1865 -1918)

Atirei um limão doce
na janela de meu bem.
Quando as mulheres não amam,
que sono as mulheres têm!
Manuel Bandeira(1886-1968)

Teu sorriso é um jardineiro,
meu coração um jardim,
saudade, um imenso canteiro
que trago dentro de mim.
Mário de Andrade. (1893 - 1954)

Em barco de nuvens sigo
e o que vou pagando ao vento
para levar-te comigo
é suspiro e pensamento.
Cecília Meireles. (1901-1964)

Só por descuido é que Helena
acabou por se casar,
pois pensou que Cibalena
fosse pílula...Que azar!
Cláudio de Cápua

Era uma vez... e eu sorria
aos contos da Fada Bela...
e minha mãe não dizia
que a bela fada era ela!
Carolina Ramos

A data é comemorada pelo Brasil afora com várias festividades. Em Santos, por exemplo, Carolina Ramos proferirá uma palestra no dia 25 de julho na Biblioteca Mário Faria, às 18 horas, aberta ao público. Quem for da região, pode passar por lá e conferir.

Conheça mais em Trovadores de Santos . publicado no site Digestivo Cultural em 18/7/2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por sua visita.